Governo Eduardo Leite e BANRISUL afetam a estabilidade financeira dos servidores, além da calamidade pública

Foto: Jornal Valor Econômico

O SINPOL-RS, Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do RS, protesta veementemente contra as alterações das regras divulgadas visando a suspensão dos pagamentos dos consignados realizados pelos servidores públicos estaduais, em especial aos policiais civis (Delegados, Comissários, Escrivães, Inspetores e Investigadores de Polícia) do RS.

A Direção do BANRISUL, comanda pelo Sr. Fernando Lemos, o qual foi escolhido pelo Sr. Governador Eduardo Leite, torna frustrante o pouco que restava de credibilidade na condução da gestão do funcionalismo público. Objetivamente, como definido na matéria desta sexta-feira, dia 07/06/2024, da jornalista Rosane de oliveira, em sua coluna na edição impressa do jornal Zero Hora (pág. 05), destacou que no início de maio a Direção do BANRISUL afirmou que suspenderia o pagamento dos consignados, sem acréscimo pelo prazo de 120 dias.

No final de maio em pleno feriado de Corpus Christi, o Governo do Estado e o seu banco público BANRISUL, demonstraram não ter a mínima credibilidade em sua gestão quando alteram as regras do jogo, simulando estarem auxiliando os servidores, aumentando para 180 dias o pagamento dos consignados, surpreendendo a todos com o aumento das parcelas prorrogadas, incluindo o principal, que seriam acrescidos de juros, e diluídas ao longo das prestações contratuais. Fato, então, inexistente.

Segundo a jornalista Rosane de Oliveira “Traduzindo: a prestação quando voltar a ser paga, vai subir. O que incomodou os servidores que tomaram conhecimento da mudança foi a ambiguidade dos comunicados”.

A crueldade da atual administração estadual, em relação ao funcionalismo público, o qual também é vítima das calamidades que afetam o nosso Estado, não se encerram neste episódio. Sofremos há mais de seis anos sem nenhum reajuste salarial adequado; fomos surpreendidos pela discriminação ocorrida com a quebra da SIMETRIA HISTÓRICA, existente há 61 anos, entre a remuneração do Comissário com os Capitães da BM; suportamos a quebra das regras das promoções na Polícia Civil, que deveriam ocorrer duas vezes ao ano, sem sequer haver o preenchimento total das vagas existentes; amargamos a suspensão do pagamento devido aos policiais em razão das indenizações envolvendo as licenças-prêmio; trabalhamos diuturnamente durante a pandemia do COVID-19 e atualmente em relação às enchentes que assolam o RS, e sequer recebemos o pagamento regular das horas extras; ressentimos a falta de estrutura e logística dos prédios e edificações policiais, motivos pelos quais estão havendo realocações precárias em outros estabelecimentos públicos. Há que se perguntar: qual a qualidade desta atual gestão estadual, cuja a ideologia principal é o Estado mínimo? – questiona Mário Flanir, Presidente do SINPOL-RS.

Será que efetivamente o senhor Governador Eduardo Leite está valorizando o corpo profissional dos servidores que compõe o Poder Executivo?

O SINPOL-RS, diante do exposto convida a sociedade rio-grandense a refletir sobre os temas. A Direção da nossa entidade preocupada com a divulgação enganosa realizada pela direção do BANRISUL e, considerando a mudança unilateral intempestiva das regras envolvendo os consignados, já determinou estudos em sua banca jurídica para se posicionar em defesa dos nossos associados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 7 =