O caos financeiro do RS – Verdade ou Mentira?

Uma situação que causa estranheza é a de que as finanças do Estado do RS estão beirando o caos. A afirmação do governador do Estado de que a despesa excede, em muito, a receita, e de que isso seria o motivo de não haver investimentos nas áreas da Segurança Pública, Saúde e Educação constitui-se em uma verdade ou uma mentira?

Ora, faço um exercício mental: se eu me proponha a administrar uma empresa, qualquer que seja, devo ter como prioridade o conhecimento da saúde financeira desta empresa, se ela é ou não rentável.

Agora, assumir e depois descobrir que está falida e, para tentar se safar, já de início penalizar e pedir sacrifícios aos funcionários, e não sendo o suficiente, vendendo o patrimônio da empresa, é a constatação da falta de conhecimento e planejamento.

Mas, parece que o nosso ‘desgovernador’ fez exatamente o contrário. Não procurou saber das condições das finanças do Estado, ou simplesmente as subestimou, colocando o seu projeto de poder à frente da realidade dos fatos. Hoje, mesmo se sentindo acuado, mesmo sem produzir melhorias para o povo gaúcho, cogita a possibilidade de estender por mais quatro anos este arremedo de projeto.

Talvez existam mais alguns patrimônios públicos a serem vendidos. Ou, quem sabe, os funcionários sejam penalizados com o parcelamento de seus salários, ou talvez nem os recebam. Os secretários e assessores que fazem parte desta administração, coniventes e insensíveis, e até mesmo os poderes Judiciário e Legislativo, se mantém omissos e distantes.

Aos que sonham com a reeleição eu tenho a dizer o seguinte: na eleição de 2018, o povo dará a sua resposta nas urnas. Eu espero que cada cidadão deste Estado reflita muito bem no momento do voto, porque é sabido que temos obrigação de votar, mas apenas temos o direito de retirar de cena o mau político a cada quatro anos.

*Antonio Santos, Secretário-Geral do Sinpol RS

 

13/10/2017 Autor: Antonio Santos Neto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + três =